Paloma tinha 18 anos quando decidiu conversar com jovens da sua faixa etária a respeito das drogas. Sua pesquisa acabou se transformando neste excepcional ensaio-reportagem. Discussões com a autora em escolas têm se revelado um interessante instrumento para abrir um debate sincero sobre o tema. Indicado para jovens em geral e para adoção em turmas de ensino médio.

 

“Paloma Klisys é daquelas jovens que se indignam. Persistente, chega sempre aonde quer; curiosa, observa e pergunta até as últimas consequências; corajosa, deixa de lado falsos problemas de neutralidade para falar de temas duros: drogas, dependências, ser jovem num país que oferece poucas perspectivas. Paloma é menina ligada ao planeta.

O livro escrito por ela não traz respostas fáceis para esses assuntos difíceis, nem propõe soluções mágicas que resolvam os problemas de pais, adolescentes ou educadores. Mas deixa claro, a partir de entrevistas com usuários e especialistas, que não exigem regras ou generalizações possíveis quando se trata de drogas. E que os dramas muitas vezes permanentes e as alegrias momentâneas do uso delas - desde o álcool até o crack - destróem alguns, marcam outros, mas tocam a quase todos e todas. Afinal, se as drogas fossem apenas algo ruim, como explicar que tanta gente, em todas as culturas, entre nessa por curiosidade, prazer, fuga ou mesmo por ritual?

Qual é o barato traz depoimentos, opiniões, informações e histórias de vida das pessoas que Paloma foi conhecendo em suas pesquisas. E a partir delas dá indicações do assunto nos fazendo refletir tanto a respeito da condição do jovem quanto do uso das drogas entre eles. Um livro para todas as idades e para todos os públicos escrito por uma jovem persistente, curiosa e corajosa” - Rachel Trajber (antropóloga e educadora)

 

Autor: Paloma Klisys

 
Drogas, Qual é o Barato
R$19,00
Drogas, Qual é o Barato R$19,00

Paloma tinha 18 anos quando decidiu conversar com jovens da sua faixa etária a respeito das drogas. Sua pesquisa acabou se transformando neste excepcional ensaio-reportagem. Discussões com a autora em escolas têm se revelado um interessante instrumento para abrir um debate sincero sobre o tema. Indicado para jovens em geral e para adoção em turmas de ensino médio.

 

“Paloma Klisys é daquelas jovens que se indignam. Persistente, chega sempre aonde quer; curiosa, observa e pergunta até as últimas consequências; corajosa, deixa de lado falsos problemas de neutralidade para falar de temas duros: drogas, dependências, ser jovem num país que oferece poucas perspectivas. Paloma é menina ligada ao planeta.

O livro escrito por ela não traz respostas fáceis para esses assuntos difíceis, nem propõe soluções mágicas que resolvam os problemas de pais, adolescentes ou educadores. Mas deixa claro, a partir de entrevistas com usuários e especialistas, que não exigem regras ou generalizações possíveis quando se trata de drogas. E que os dramas muitas vezes permanentes e as alegrias momentâneas do uso delas - desde o álcool até o crack - destróem alguns, marcam outros, mas tocam a quase todos e todas. Afinal, se as drogas fossem apenas algo ruim, como explicar que tanta gente, em todas as culturas, entre nessa por curiosidade, prazer, fuga ou mesmo por ritual?

Qual é o barato traz depoimentos, opiniões, informações e histórias de vida das pessoas que Paloma foi conhecendo em suas pesquisas. E a partir delas dá indicações do assunto nos fazendo refletir tanto a respeito da condição do jovem quanto do uso das drogas entre eles. Um livro para todas as idades e para todos os públicos escrito por uma jovem persistente, curiosa e corajosa” - Rachel Trajber (antropóloga e educadora)

 

Autor: Paloma Klisys